Português

O português é o idioma oficial do Brasil e de outros países como, por exemplo, Portugal, Moçambique, Angola e outros. Entretanto, existem diferenças no vocabulário, na pronúncia e na sintaxe. Diferenças que são semelhantes ao que acontece no inglês dos Estados Unidos e do Reino Unido, mas isso não impede que seus falantes se entendam sem maiores problemas.

Quando conversamos entre amigos e familiares, geralmente utilizamos a norma coloquial, que nada mais é do que uma forma simplificada no qual usamos construções gramaticais e conectores mais simples, frases curtas e com repetições, ou seja, é uma forma não planejada de se expressar.

Na escola, aprendemos a norma culta, que é um modelo que segue rigidamente as regras gramaticais. Isso deixa a linguagem mais elaborada e exige um grau maior de atenção na hora de se expressar. Apesar das diferenças entre norma culta e norma coloquial, não existe certo ou errado. O ideal é usar o padrão linguístico de acordo com as situações.

A gramática, que é o estudo dos elementos de uma língua e o conjunto de regras para o uso da mesma, é o ponto de partida para entender e aprender a maneira de usar “corretamente” (norma culta) qualquer idioma. Ela pode ser dividida em:

  • Fonética: Estudo dos fonemas, da sua produção e suas características;
  • Fonologia: Ciência dos sons da linguagem;
  • Morfologia: Estudo da formação, da estrutura, da origem, da flexão e da classificação das palavras;
  • Sintaxe: Estudo do conjunto de regras que organizam a construção das frases;
  • Semântica: Estudo da evolução do sentido das palavras;
  • Etimologia: Estudo da origem e da formação das palavras;
  • Estilística: Estudo do uso dos recursos da linguagem quanto a capacidade de comunicar, emocionar e sugestionar;
  • Literatura: A arte de compor escritos artísticos, em prosa ou em verso.

Confira também