Surrealismo

Uma das vanguardas europeias, o Surrealismo teve início na França, com a publicação do Manifesto do Surrealismo, publicado em 1924 por André Breton, líder do movimento.

Influenciada por Sigmund Freud, a arte surrealista tem forte ligação com a psicanálise, com o mundo interior, com o inconsciente e o subconsciente. Todos estes elementos eram encarados pelos surrealistas como fontes de conhecimento do homem, com o desprezo do pensamento sensível e da razão, formando uma nova arte onde o artista estaria "sonhando acordado". Nesta arte, era frequente a presença de ilogismo, devaneio, sonho, loucura, hipnose, etc.

Os surrealistas tinham o desejo de libertação do mundo burguês mercantil e moralista. Devido a isso, alguns surrealistas passaram a ter ligações com o comunismo. Estes desejavam acabar com o modo de produção capitalista e as classes sociais porque acreditavam que essa transformação levaria ao objetivo do movimento.

Uma linha defendida pelos surrealistas era a do automatismo artístico, que consistia em colocar na arte os desejos interiores do artista, sem nenhuma preocupação com significado ou coerência. Na literatura, este processo seria chamado de "escrita automática". Há também a linha onírica, onde o universo dos sonhos era levado para o plano artístico. A importância do sonho se dava porque, segundo Freud, era através dele que o inconsciente e o subconsciente se manifestavam.

Durante a Segunda Guerra Mundial o Surrealismo desapareceu devido a conflitos internos entre os membros do movimento (uns apoiando os socialistas, outros contra), mas até hoje existem tentativas de recupera-lo.

Artistas Surrealistas

Os principais nomes do Surrealismo são: André Breton, Louis Aragon, Antonin Artaud (na literatura); Salvador Dali, Max Ernst, Joan Miró, Jean Harp (nas artes); Luis Buñuel (no cinema). No Brasil, escritores como Murilo Mendes, Mário e Oswald de Andrade e Jorge de Lima foram influenciados por esta arte.

Bibliografia
  • CEREJA, William Roberto; MAGALHÃES, Thereza Cochar. Literatura Brasileira: ensino médio. 2.ed reform. São Paulo: Atual, 2000.

Ana Gabriela Figueiredo Perez

Estudos Literários - Unicamp

Confira também