Revolução Russa de 1917

A Revolução Russa foi um processo ocorrido no século XX; e que se inicia pela destruição do Regime Czarista Russo e das relações aristocráticas ainda presentes no país. Logo após o fim da Primeira Guerra Mundial e durante sua participação nela, a Rússia passaria por revoluções que libertariam o país tanto das amarras autocráticas, quanto de um proto-capitalismo que começava a se desenhar por algumas regiões do Império Russo. Ineditamente, enquanto os países de toda a Europa eram Democracias Liberais praticamente constituídas, a Rússia, na contramão é o primeiro Estado a aderir o sistema socialista causando, assim, uma profunda ruptura política e social: o poder estaria nas mãos do proletariado e, ao fim, do Partido Comunista.

A Rússia Antes da Revolução

No início do século XX, a Rússia era ainda um país predominantemente agrário, isto é, mais de 70% de sua população estava concentrada no campo e sua economia baseava-se na agricultura. Além disso, os valores e relações que lembram Antigo Regime relegavam todos os camponeses (a maioria da população) a condições quase feudais, miséria e analfabetismo. O quadro de relações sociais estabelecia o acordo entre a monarquia absolutista (Czar-rei) e a Igreja ortodoxa, aliado aos privilégios da nobreza aristocrática. Os boiardos - proprietários de grandes extensões de terra - eram servidos pelos mujiques (pequenos camponeses). Tal configuração de sociedade chocava-se com o dinamismo das sociedades capitalistas emergentes.

Entretanto, alguns Czares visando acompanhar o ritmo do progresso ocidental, adotaram políticas desenvolvimentistas para acelerar a industrialização no país. Criando oportunidades para investimentos estrangeiros de alemães, franceses e ingleses, aprofundava-se mais ainda o contraste entre a estrutura agrária czarista e os impulsos modernizantes. Desse modo, grandes indústrias se instalaram em cidades como São Petersburgo e Moscou fazendo com que houvesse certa urbanização nessas regiões. Por conseguinte, o número de operários crescia de maneira considerável; no entanto, eles recebiam baixos salários e enfrentavam péssimas condições de trabalho. Diante disso, já apareceriam militantes de esquerda entre estes trabalhadores.

Oposição ao Czarismo

Por mais que a Rússia não apresentasse direitos democráticos ou eleições, e estivesse sob a égide de uma monarquia absolutista, houveram alguns partidos de oposição ao czarismo que se definem mais como organização de correntes político-ideológicas.

Entre eles, o mais importante foi o POSDR (Partido Operário Social-Democrata Russo) que se opunha ao regime monárquico e se inspirava em ideias marxistas. Em um dos Congressos do POSDR em 1903, surgiram duas correntes opostas e muito significativas para a revolução posterior: a primeira, os mencheviques, eram a minoria e defendiam que a revolução socialista só deveria ser feita após o amadurecimento do capitalismo. Ou seja, uma revolução burguesa abriria caminho para uma posterior tomada de poder proletária. Seu principal líder foi Iulii Martov. Já a segunda, os bolcheviques (a maioria) contra argumentavam que a revolução socialista e a ditadura do proletariado, para tirar a Rússia do atraso em que vivia, eram imediatamente necessárias a partir de uma união entre a classe operária e a camponesa; uma vez que a burguesia russa além de fraca não possuía verdadeiro interesse em derrubar o czarismo. Seu líder era Vladimir Ulianov, mais conhecido como Lênin.

Guerra Russo-Japonesa

O ano de 1905 começa com a Rússia envolvida na Guerra Russo-Japonesa (1904-1905). Esta guerra imperialista ocorreu devida uma disputa com o Japão pelo controle da Manchúria, região pertencente à China. A Rússia acabou absolutamente derrotada, sua marinha, orgulho imperial, destruída, o czar (Nicolau II) e seu projeto expansionista também fracassaram. O conflito pôs fim a qualquer prestígio dos governantes, gerando insatisfação e aumentando a miséria entre as camadas baixas da população. Obviamente, a oposição ao regime fora fortalecida.

Domingo Sangrento

O Domingo Sangrento, massacre ocorrido na frente do palácio imperial, perpetrado por tropas czaristas contra uma manifestação pacífica, em frente ao palácio, que pedia apenas correção dos erros cometidos e ainda levava retratos de Nicolau II, fez com que o regime fosse ainda mais rejeitado e abriu as portas à revolução vindoura de 1917.

Sovietes

Os efeitos da Guerra Russo-Japonesa e o Domingo Sangrento causaram um descontentamento quase geral, possibilitando logo em seguida um grande movimento revolucionário do qual surgiram os primeiros sovietes; e estes, por sua vez, tiveram papel fundamental em todo processo. Os sovietes eram conselhos ou assembleias de trabalhadores (operários) que se organizavam politicamente. Em São Petersburgo, Leon Trotski foi eleito como presidente do soviete.

Duma e a Monarquia Constitucional

Contudo, o Czar querendo manter seu poder e refrear as tentativas de revolução, adotou medidas como a Duma, um tipo de parlamento com representantes eleitos. Nicolau II também criou uma Constituição, tinha-se agora uma Monarquia Constitucional. Todas essas mudanças mostravam certo avanço, mas não transformaram profundamente a realidade do país, pois tanto a Constituição quanto a Duma estavam submetidas ao governo ilimitado do Czar. No intuito de se fortalecer mais ainda, Nicolau colocou os sovietes na ilegalidade, além de exilar os líderes oposicionistas mais influentes como Lênin e Trotski.

Primeira Guerra Mundial

A participação fracassada da Rússia na Primeira Guerra Mundial agravou as dificuldades internas. Escassez de alimentos, morte de soldados e perdas com a guerra promoveram intensas manifestações de trabalhadores e soldados. Consequentemente, o regime Czarista estava próximo de ruir, e foi o que aconteceu em 1917: Nicolau II é obrigado a abdicar do trono.

Revolução de 1917

Com a queda do monarca, institui-se uma República, essa é a Primeira Fase da Revolução Russa. Estabelecendo-se assim um Governo Provisório, liderado pela burguesia e baseado na Duma. Havia, então, uma situação de duplo poder, cidades como São Petersburgo ainda eram sovietes e tinham decidido não participar do governo vigente. Porém, o agravamento da crise russa, pelos efeitos da guerra, fortaleceram os bolcheviques. Representados pelas figuras de Lenin e Trotski que voltaram do exílio e defendiam que o poder deveria estar nas mãos dos sovietes. A bandeira dos revolucionários era “Paz, pão e terra”. Entre julho e agosto de 1917, os bolcheviques começaram a conquistar todos os sovietes pelo país. A Revolução acontece de fato quando, em 25 de Outubro de 1917 (Calendário Juliano), o Governo Provisório é deposto pelos bolcheviques com a Guarda Vermelha, a nova milícia operária. Ao ascender ao poder, Lenin é o principal líder dos bolcheviques, tornando-se presidente do Conselho de Comissários do povo.

Guerra Civil

A potências ocidentais, se sentindo ameaçadas, interferem na situação interna russa, ajudando o nascente exército branco, composto de contrarrevolucionários das mais diversas ideologias contra o exército vermelho, o exército dos bolcheviques. A Rússia então mergulhou em uma sangrenta guerra civil, que só terminaria em 1921, com a participação de pelo menos cinco exércitos estrangeiros contra os bolcheviques, que mesmo assim saíram vitoriosos.

Um novo governo para a Rússia começava. Os revolucionários tomaram as medidas prometidas: transformaram os sovietes em órgãos locais de poder, deram controle das indústrias aos operários, estatizaram bancos, etc. Todas essas decisões, entretanto foram tomadas com o mais alto grau de autoritarismo, medidas desumanas e genocidas foram estabelecidas pelo governo soviético, que assim mostrava sua verdadeira face. A URSS duraria ainda, por quase oitenta anos, em um período de muito sofrimento para a população russa.

Exercícios sobre Revolução Russa

(Carlos de Chagas-SP) A Revolução Russa de 1917 iniciou-se em março desse ano com a derrubada do czar Nicolau II e com a formação de um governo provisório, por sua vez derrotado pelo levante bolchevista de novembro do mesmo ano. Destes movimentos, destacaram-se como as principais figuras:

  • Stálin e Kerensky.
  • Kerensky e Lênin. x
  • Lênin e Trotsky.
  • Trotsky e Kerensky.
  • Stálin e Lênin.

(PUC-RS/Modificado) Sobre a Revolução Russa de 1917, assinale a(s) alternativa(s) correta(s).

  • A Revolução teve origem no fracasso das negociações diplomáticas entre Rússia e Alemanha em torno da cidade de Dantzig e do desejado Corredor Polonês.
  • A Revolução caracterizou-se como um movimento liberal, organizado pelos intelectuais orgânicos dos Sovietes dos Camponeses, Burgueses e Operários.
  • As questões sociais relacionadas à terra, à carência de abastecimento (e fome crônica) e à permanência da Rússia na Primeira Guerra foram fundamentais para a eclosão dessa Revolução. x
  • Trotsky e Stalin divergiram quanto aos rumos da revolução, já que o primeiro defendeu o "socialismo em um só país", ao passo que o segundo propôs a "revolução permanente". x
  • A revolução resultou na saída da Rússia da Primeira Guerra Mundial em 1917, por Lênin considerar esta uma guerra imperialista. x

(FUVEST/2000) Há controvérsias entre historiadores sobre o caráter das duas grandes revoluções do mundo contemporâneo, a Francesa de 1789 e a Russa de 1917; no entanto, existe consenso sobre o fato de que ambas

  • fracassaram, uma vez que, depois de Napoleão, a França voltou ao feudalismo com os Bourbons e a União Soviética, depois de Gorbatchev, ao capitalismo.
  • geraram resultados diferentes as intenções revolucionárias, pois tanto a burguesia francesa quanto a russa eram contrárias a todo tipo de governo autoritário.
  • puseram em prática os ideais que as inspiraram, de liberdade e igualdade e de abolição das classes e do Estado.
  • efetivaram mudanças profundas que resultaram na superação do capitalismo na França e do feudalismo na Rússia.
  • foram marcos políticos e ideológicos, inspirando, a primeira, as revoluções até 1917, e a segunda, os movimentos socialistas até a década de 1970. x

(PUC-SP) O Estado Soviético, formado após a Revolução Russa, cuidou de expurgar da cultura desse país toda e qualquer manifestação artística que estivesse, no entendimento das autoridades, associada ao chamado "espírito burguês". Foi criada, então, uma política cultural que decretava como arte oficial apenas as expressões que servissem de estímulo para a ideologia do proletariado. Dessa forma, foi consagrado um estilo conhecido por:

  • expressionismo soviético - que, através de uma orientação estética intimista, procurava expor a "alma inquieta dos povos eslavos", que passaram a integrar a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas.
  • abstracionismo proletário - que, através da decomposição geométrica do real, exprimia a "ordenação sincrônica da sociedade comunista".
  • realismo socialista - que, através de composições didáticas, esteticamente simplificadas, procurava enaltecer a "combatividade, a capacidade de trabalho e a consciência social" do povo soviético. x
  • romantismo comunista - que, através de um figurativismo apenas sugestivo, procurava realizar a "idealização do mujique", o camponês russo típico, como representante das raízes culturais russas.
  • concretismo operário - que, através de uma concepção criadora autônoma - não resultante de modelos -, utilizava elementos visuais e táteis, com o objetivo de mostrar a "prevalência do concreto sobre o abstrato"- idéia básica no materialismo dialético.
Bibliografia
  • WADE, Rex. A. The Russian Revolution, 1917. Cambridge University Press, 2nd edition. 21 April 2005

Rafael Ribeiro Andrade

História - USP

Confira também