Proclamação da República

Após a Guerra do Paraguai, os militares tiveram a sua moral levantada, bem como o desejo de maior participação nas questões do reino. Contudo, ao retornarem, as lideranças militares continuavam a serem censuradas pelo poder imperial e passaram a fazer oposição a monarquia.

Em 1889 o imperador não tinha mais bases para se manter no poder. Nesse meio tempo, surge uma conspiração republicana liderada por Benjamin Constant, Rui Barbosa e outros. Após conseguir o apoio do Marechal Deodoro da Fonseca, e do exército, decretam em 15 de novembro a prisão de ministros e proclamam a República, formando um governo provisório. É digno de nota que o povo foi mero espectador do fato. Dom Pedro II e família embarcam a Portugal.

Após a Proclamação da República, a imagem nacional torna-se um tema muito importante. É necessária, então, a criação de um herói nacional. Nessa realidade é que se cria o mito de Tiradentes. Antes uma figura pouco conhecida de uma revolta mal vista, inventa-se um mártir, condenado, membro das classes mais baixas. A partir daí, cria-se um paralelo entre ele e até mesmo Jesus Cristo.

Bibliografia
  • Salomão, Gilberto Elias. História, livro 2. Sistema de Ensino Poliedro, Editora Poliedro,São José dos Campos, 2011.
  • Ferreira, João Paulo Mesquita Hidalgo e Luiz Estevam de Oliveira Fernandes. Nova História Integrada (Ensino Médio – Volume Único). Companhia da Escola, Campinas, 2005.

Bruna Braga Fontes

História - USP

Confira também