Rebeliões Regenciais

O Período Regencial ficou marcado pela ocorrência das chamadas Rebeliões Regencias (Revoltas Regenciais), que foram uma série de movimentos espalhados pelo Brasil e que ocorreram num período de nove anos. Quase todas essas revoltas ocorreram devido a insatisfação das elites regionais e da classe média urbana com a centralização do poder, as dificuldades econômicas, o aumento dos impostos.

Revoltas de Escravos

Entre as revoltas que não envolveram as elites e a classe média estão as revoltas de escravos. Entre elas podemos citar a Revolta das Carrancas (Minas Gerais), a Revolta dos Malês (Salvador), que durou apenas três horas, e a revolta de Manuel Congo (Rio de Janeiro).

Principais Rebeliões Regenciais

  • Balaiada: Ocorreu no Maranhão entre 1838 e 1841. A revolta ocorreu devido crise na produção algodoeira;
  • Cabanagem: Ocorreu na província do Grão-Pará entre 1835 e 1840. Os paraenses desejavam escolher os próprios governantes locais;
  • Sabinada: Aconteceu na Bahia entre 1837 e 1838. Foi um movimento marcado pela presença das camadas médias;
  • Revolução Farroupilha: Ocorreu na província do Rio Grande do Sul entre 1835 e 1845, sendo a maior e mais importante revolta do período regencial.
Bibliografia
  • Koshiba, Luiz, Pereira, Denise Manzi Frayze. História do Brasil. 7 edição. São Paulo.

Confira também