Orações Subordinadas Adverbiais

As orações subordinadas adverbiais são aquelas que têm valor de advérbios, exercendo a função de adjunto adverbial em relação à oração principal.

Os meninos retornaram quando anoitecia.
             Oração principal                      Oração subordinada adverbial

Assim como as orações subordinadas substantivas, as adverbiais também possuem duas formas: reduzidas ou desenvolvidas.

Orações Subordinadas Adverbiais Reduzidas

A forma reduzida aparece sem conjunção e com verbo em alguma das formas nominais (particípio, gerúndio ou infinitivo).

Retornando à minha cidade, visitei meus pais.
verbo retornar no gerúndio
        Or. Sub. adverbial reduzida                        Oração principal

Orações Subordinadas Adverbiais Desenvolvidas

A forma desenvolvida possui um verbo conjugado (flexionado) e é iniciada por uma conjunção subordinativa.

Assim que retornei à minha cidade, visitei meus pais.
verbo retornar conjugado / conjunção assim que
          Or. sub. adverbial desenvolvida                                  Oração principal

Tipos de Orações Subordinadas Adverbiais

Estas orações relacionam-se à oração principal geralmente por meio de conjunções específicas, podendo ainda ser dividida em nove tipos: oração subordinada adverbial condicional, oração subordinada adverbial comparativa, oração subordinada adverbial temporal, oração subordinada adverbial final, oração subordinada adverbial causal, oração subordinada adverbial consecutiva, oração subordinada adverbial proporcional, oração subordinada adverbial conformativa, oração subordinada adverbial concessiva.

Oração Subordinada Adverbial Condicional

Esta oração expressa a imposição de uma condição ou hipótese para que o fato expresso na oração principal possa ocorrer.

Ela receberá o salário desde que venha trabalhar.
           Oração principal                           Or, sub. adverbial condicional

Aqui vemos que, para receber o salário, há uma condição principal, que é ir ao trabalho. Este tipo de oração geralmente é introduzida pelas conjunções condicionais se, desde que, contanto que, a menos que, exceto se, etc.

Oração Subordinada Adverbial Comparativa

Este tipo de oração subordinada adverbial estabelece uma comparação entre o fato trazido pela oração subordinada e o expresso pela oração principal.

Eles estavam mais tranquilos (do) que elas.
                     Oração principal                         Or. sub. adverbial comparativa

Geralmente, estas orações são introduzidas pelas conjunções comparativas como, que, do que, assim como, mais do que, quanto, etc. Algumas destas conjunções podem estar subentendidas na oração, como no exemplo acima, em que do pode ser ou não ser colocado na oração.

Oração Subordinada Adverbial Temporal

Estas orações indicam o momento, o tempo de ocorrência do fato que a oração principal expressa.

Houve protestos depois que o prefeito assumiu.
       Oração principal              Oração subordinada adverbial temporal

Aqui, a oração adverbial indica que após a data em que o prefeito assumiu, houve protesto. Este tipo de oração subordinada é introduzida pelas conjunções temporais desde que, quando, sempre que, assim que, logo que, etc.

Oração Subordinada Adverbial Final

Estas orações indicam uma finalidade, o objetivo do fato que a oração principal traz.

As notas foram fixadas no mural para que os alunos vissem.
               Oração principal                                                      Or. sub. adverbial final

Aqui é apresentado o objetivo das notas estarem no mural. Estas orações subordinadas são introduzidas pelas conjunções finais para que, a fim de que e que.

Oração Subordinada Adverbial Causal

Esta oração indica a causa, o motivo do fato expresso na oração principal.

Como não conseguiu emprego, Maria mudou-se para outra cidade.
               Or. sub. adverbial causal                                                 Oração principal

Aqui, nesta oração, vemos que o motivo de Maria ter se mudado para outra cidade é o fato e não conseguir um emprego, expresso por como. A oração subordinada adverbial causal é introduzida pelas conjunções causais porque, como, uma vez que, já que, visto que, desde que, etc.

Oração Subordinada Adverbial Consecutiva

Esta oração indica uma consequência de um fato expresso pela oração principal.

A prova foi tão cansativa que todos saíram com dor de cabeça.
               Oração principal                                            Or. sub. adverbial consecutiva

Aqui, a consequência da prova ter sido cansativa é a dor de cabeça. A oração subordinada adverbial consecutiva é introduzida pelas conjunções consecutivas tal...que, tão...que, tanto...que, de modo que, etc.

Oração Subordinada Adverbial Proporcional

Esta oração indica uma relação de proporção entre o fato que a oração subordinada expressa e o fato que a oração principal expressa.

O clube vai ficando vazio à medida que esfria.
               Oração principal                       Or. sub. adv. proporcional

A oração subordinada adverbial proporcional é introduzida pelas conjunções proporcionais à medida que, à proporção que, ao passo que, quanto mais...mais, etc.

Oração Subordinada Adverbial Conformativa

Esta oração indica uma ideia de critério, de conformidade com o qual o fato expresso na oração principal se desenvolve.

Os fiscais agiram conforme determina a lei.
     Oração principal                Or. sub. adverbial conformativa

A oração subordinada adverbial conformativa é introduzida pelas conjunções conformativas conforme, como, segundo.

Oração Subordinada Adverbial Concessiva

Esta oração traz um fato contrário ao expresso na oração principal, mas sem impedir a ocorrência deste.

Embora seja tarde, ela ainda não acordou.
Or. sub. adv. concessiva                  Oração principal

Aqui, vemos que o fato de ser tarde deveria fazer com que ela não estivesse mais dormindo, no entanto, isso não modifica a ação da oração principal, já que ela não acordou. A oração subordinada adverbial concessiva é introduzida pelas conjunções concessivas embora, mesmo que, ainda que, se bem que, por mais que, etc.

Bibliografia
  • CEREJA, William Roberto; MAGALHÃES, Thereza Cochar. Português: linguagens – vol 3. 5.ed. São Paulo: Atual, 2000.
  • FERREIRA, Mauro. Aprender e praticar gramática. Ed renovada. São Paulo: FTD, 2007.

Ana Gabriela Figueiredo Perez

Estudos Literários - Unicamp

Confira também