Período Paleolítico

O Paleolítico foi um período da história humana mais remota, assim chamado pela descoberta das ferramentas mais primitivas feitas de pedra. É um período imenso, que vai de aproximadamente 2.5 milhões de anos atrás até cerca de 10.000 anos atrás (8.000 a.C.). Apesar de seu tamanho, é um período para o qual nos resta pouquíssimas fontes, portanto podemos fazer relativamente poucas afirmações sobre ele. Para facilitar, dividiremos cada seção em 3 partes: Paleolítico Inferior, de 2.5 milhões de anos atrás até cerca de 300.000 anos atrás; Paleolítico Médio, de 300.000 até 30.000 anos atrás, e Paleolítico Superior, de 30.000 até 10.000 anos atrás.

Sociedade Paleolítica

É no Paleolítico Inferior que surgem os primeiros agrupamentos humanos que podemos chamar de "sociedades": Bandos de não mais de 20 indivíduos que são pouco mais do que famílias extendidas, vivendo de caça e coleta, e possuindo uma hierarquia rígida, provavelmente centrada ao redor do homem mais velho ou mais forte; A agressividade inter-humana era mínima, e dois bandos raramente competiam pelos mesmos recursos. Algumas evidências sugerem a presença freqüente de poliginia (um forma de relacionamento sexual em que um homem se relaciona com mais de uma mulher), embora algumas correntes oponham-se a essa teoria. No Paleolítico Inferior a espécie humana era dividida em 3 espécies dominantes: Homo Habilis, Homo Ergaster e Homo Erectus. Todavia, essas não eram as únicas espécies de hominídeos, tendo existido algumas outras em locais isolados durante esse mesmo período.

No Paleolítico Médio, as sociedades se expandiram de maneira geral, sendo o número mais comum entre 30 e 100 indivíduos, consistindo de várias famílias. Esses grupos eram em geral nômades, e vários grupos podiam se encontrar periodicamente para fins de reprodução e troca de artefatos e/ou recursos. Nessa época também iniciou-se a prática de cuidar, ao invés de se desfazer, dos membros mais idosos do grupo. Nessa época, desapareceram todas as espécies de homínideo exceto 4: Homo Sapiens Neanderthalis, os Neandertais, Homo Sapiens Idaltu, Homo Rhodesiensis e Homo Floresiensis.

No Paleolítico Superior, as sociedades aumentaram ainda mais, com o aumento da frequência de grupos de mais de 100 indivíduos. Alguns grupos desenvolveram estruturas tribais mais complexas, com uma divisão semi-rígida de trabalho, embora cada membro ainda desenvolvesse todas as habilidades necessárias para a sobrevivência, visto que a taxa de mortalidade era relativamente alta. Já nesse período alguns grupos passaram a viver em um estado de conflito semi-permanente com outras tribos, especialmente em regiões com maior abundância de recursos, e conseqüentemente maior densidade populacional. Embora descobertas recentes pareçam mostrar o contrário, o consenso por ora é que a única espécie humana presente nesse período seja a nossa, Homo Sapiens Sapiens.

Arte e Cultura Paleolítica

Para o Paleolítico Inferior, temos pouquíssimas evidências de arte e cultura. Alguns exemplos dessas evidências raras são a Vênus de Tan-Tan, uma estátua de uma possível divindade ou representação da fertilidade, encontrada no atual Marrocos, ou os Ossos de Bilzingsleben, que são restos mortais de mamutes dispostos como um desenho, e encontradas na atual Alemanha.

No Paleolítico Médio encontramos os primeiros exemplos irrefutáveis de manifestação artística, como pinturas monocromáticas em cavernas, evidências de pintura corporal, braceletes e colares de contas feitos de ossos, conchas ou pedras coladas, esculturas em argila ou pedra, etc. Mesmo assim, se compararmos a enormidade do período analisado, esses artefatos são relativamente raros, e provavelmente só era produzidos por alguns grupos relativamente bem instalados e bem abastecidos em termos de recursos para sua sobrevivência.

A arte torna-se muito mais sofisticada no Paleolítico Superior, com o surgimento de estátuas de animais, pinturas elaboradas em vários pigmentos, muitas vezes com a presença de figuras antropomórficas, e uma intenstificação das formas de arte presentes em outros períodos, de modo que essas práticas se tornam comuns mesmo em grupos relativamente pequenos ou isolados. Nesse período surgem também os primeiros instrumentos musicais, quase sempre flautas feitas de osso, mas em raras ocasiões também instrumentos de percussão feitos de peles de animais esticadas sobre madeira ou conchas.

Tecnologia do Paleolítico

Finalmente, o Paleolítico é assim chamado em homenagem as ferramentas de pedra dos primeiros hominídeos. No Paleolítico Inferior, as principais ferramentas eram as facas e machadinhas de pedra, que eram usadas tendo o braço como cabo, embora não seja muito claro o seu propósito, já que eles muitas vezes parecem ser muito frágeis ou rombudos para serem eficientes tanto para o abate de animais quanto para corte de árvores para a obtenção de lenha ou construção de abrigos. Além da faca e do machado, os hominídeos desse período também possuíam lanças de madeira afiada, pequenas balsas para atravessar rios e lagos, e construíam armadilhas de madeira ou ossos, sobretudo para caçar animais pequenos e ágeis, como ratos ou coelhos.

Já no Paleolítico Médio, surgiram as primeiras ferramentas compostas, como facas, machados e lanças que possuíam cabos de madeira e pontas de pedra afiada. Os hominídeos desse período também adaptaram essas lanças em versões menores para o arremesso e para caça de peixes, introduzindo pela primeira vez essa animal na dieta humana, e tornando a caça de outros animais mais eficiente. Embora o período Inferior tenha visto uso esporádico do fogo por humanos, no período médio esse se torna comum, e os alimentos são pela primeira vez cozidos regularmente.

Finalmente, no Paleolítico Superior, a tecnologia dá um salto impressionante. São inventados instrumentos revolucionários, como a rede de pesca, o Atlatl, instrumento para o arremesso de dardos, a boleadeira, e o arco e flecha. Além disso, é domesticado o cão, principalmente como animal de caça, e, em um caso específico na França, foi identificado até um calendário lunar primitivo. Os humanos desta época já eram caçadores muito eficientes, e conseguiam perceber e recordar os períodos migratórios e hábitos de várias espécies, o que colaborou muito para o aumento dos grupos e a diminuição dos períodos de fome.

Bibliografia
  • TOTH, Nicholas & SCHICK, Kathy. An Overview of Paleolithic Archaeology.

Pedro Padovani

História - USP

Confira também