Pronomes Pessoais

Representam as três pessoas gramaticais que conjugam verbos e se relacionam num diálogo, sendo as três pessoas do discurso (quem fala, pra quem fala e de quem se fala). Os pronomes pessoais são classificados de acordo com sua função na oração, ganhando duas divisões: retos e oblíquos. Também fazem parte deste grupo os pronomes de tratamento.

Pronomes retos

Os pronomes retos são aqueles que assumem a função de sujeito de uma frase. É aquele que conjuga os verbos. Segue a tabela dos pronomes retos:

Pessoa Pronome
1ª pessoa singular Eu
2ª pessoa singular Tu
3ª pessoa singular Ele/Ela
1ª pessoa plural Nós
2ª pessoa plural Vós
3ª pessoa plural Eles/Elas
Pronomes pessoais do caso reto

Exemplos

  • No domingo ele chegará de viagem.
  • Amanhã eu gostaria de sair.

Nos dois casos acima, o sujeito é o pronome reto.

Importante

As formas tu e vós são raramente empregadas. Costuma-se utilizar você/vocês, no entanto, não se pode esquecer que esta forma é de terceira pessoa, não segunda, uma vez que o verbo conjugado pelo pronome você/vocês estará sempre em terceira pessoa.

Pronomes oblíquos

Os pronomes do caso oblíquo, por sua vez, funcionam como complemento de um nome ou um verbo, funcionando como objeto direto ou indireto. Dentro dos oblíquos existem ainda duas outras divisões: átonos: não levam preposição em seu emprego; tônicos: os que levam.

Confira a tabela a seguir:

Pessoa Átonos Tônicos
1ª pessoa singular me mim
2ª pessoa singular te ti
3ª pessoa singular se/o/a/lhe si/ele/ela
1ª pessoa plural nos nós
2ª pessoa plural vos vós
3ª pessoa plural se/os/as/lhes si/eles/elas
Pronomes pessoais do caso oblíquo

Sujeitos e complementos

É importante colocar que as formas ele/ela/eles/elas, como pudemos ver nas duas tabelas, aparecem tanto no caso reto quanto no oblíquo. Isto ocorre porque estes pronomes podem funcionar como sujeito ou complemento.

Ela partirá amanhã.

No caso acima, ela é sujeito.

O pai brigou com ele.

Nesse outro, quem é sujeito é o pai, ele torna-se apenas complemento.

Na tabela vemos os oblíquos mim, ti, si, nós e vós. Sobre estas formas, é importante ressaltar que, se vierem acompanhadas pela preposição com, a forma se modificará:

  • Com + mim = comigo
  • Com + ti = contigo
  • Com + si = consigo
  • Com + nós = conosco
  • Com + vós = convosco

Outra modificação ocorre com as formas o, a, os, as, que se transformam em lo, la, los, las quando vem depois de formas verbais terminadas em r, s ou z. Estas ainda transformam-se em no, na, nos, nas quando aparecem após os fonemas am, em, õe, etc.

Aplicações comuns dos pronomes

Concordância

Ao utilizarmos os pronomes que designam as pessoas gramaticais em um contexto, devemos deixa-los todos de forma uniforme, em concordância. Se conjugamos um verbo em 1ª pessoa, devemos seguir o tratamento em 1ª pessoa.

Concordo com você, por isso o apoiarei na reunião.

Observe aqui o pronome você, de 3ª pessoa, em concordância com o átono o, também de terceira pessoa. Essa é a frase correta, embora o mais comum seja:

Concordo com você, por isso te apoiarei na reunião.

O átono te equivale a segunda pessoa, que seria o tu no caso reto. Neste caso a frase está incorreta, pois não há uniformidade de tratamento, já que você é pronome de 3ª pessoa.

Sujeito e complemento

Outra regra de aplicação está relacionada às formas eu e mim, tu e ti. As formas eu e tu, do caso reto, só podem funcionar como sujeito de uma oração, nunca como complemento. Se, em uma frase, elas aparecerem como complemento, deverão ser substituídas por mim e tu, respectivamente.

Muitos obstáculos surgiram entre eu e tu.

Aqui, funcionam como complemento (sujeito é "muitos obstáculos") e por isso estão incorretas, devendo ser substituídas:

  • Muitos obstáculos surgiram entre você e mim.
  • Muitos obstáculos surgiram entre ti e mim.
  • Muitos obstáculos surgiram entre nós.
  • Eu e tu iremos ao shopping amanhã.
  • Eu e você iremos ao shopping amanhã.

Aqui, as formas aparecem no sujeito, estando corretas as duas formas.

Erro comum: Eu e mim

O emprego do eu e mim também traz confusão, revelando um vício de linguagem muito comum, onde o pronome oblíquo, incorretamente, começa a conjugar verbos:

Você entregou a carta pra mim ler.

Quem lê sou eu, pronome do caso reto que conjuga verbos e que, consequentemente, é o sujeito da oração. O correto seria:

Você entregou a carta para eu ler.

Outro exemplo:

Para mim, será fácil entregar este trabalho.

Aqui o complemento foi aplicado de forma correta, já que quem vai entregar o trabalho sou eu, pronome que está subentendido e que conjuga o verbo entregar.

Ele/ela/eles/elas como complemento

Outro caso de aplicação que devemos ficar atentos está relacionado aos pronomes ele/ela/eles/elas. Em alguns casos, estes pronomes aparecem como complemento, no entanto, sem a preposição. Como são pronomes que pedem a preposição se forem complemento, não podemos utiliza-los desta forma e sim como o(s), a(s).

  • Ontem de manhã encontrei elas na rua. (errado)
  • Ontem de manhã encontrei-as na rua. (certo)

Pronomes reflexivos

Um último caso de aplicação dos pronomes refere-se àqueles que são utilizados para indicar uma ação do sujeito que reflete nele mesmo. Estes são chamados pronomes reflexivos e são as formas me, nos, te, vos, se, si, consigo.

Exercícios de Pronomes Pessoais

(FEI-1995) Assinalar a alternativa na qual o pronome pessoal está empregado de forma incorreta:

  • Estava aqui porque o mandaram visitar esta firma.
  • Lembrei-lhe de que devia comparecer ao julgamento. x
  • Mandamos-lhe a encomenda pelo correio.
  • Por esta vez, perdôo-lhe a ausência.
  • Acuso-o de ambição desmedida.

(UniCat-PR) Assinale o período em que se pode usar a forma consigo:

  • Espera um pouco, que preciso falar …… .
  • Escuta, amigo, tenho que conversar …… .
  • Quando VSª vier, traga …… o menino. x
  • Quando fores embora, iremos …… .
  • Se você partir, partiremos …… .

(FUVEST) Assinale a alternativa em que o pronome pessoal esá empregado corretamente:

  • Este é um problema para mim resolver.
  • Entre eu e tu não há mais nada.
  • A questão deve ser resolvida por eu e você.
  • Para mim, viajar de avião é um suplício. x
  • Quando voltei a si, não sabia onde me encontrava.

(CESGRANRIO) Assinale a opção em que o emprego do pronome pessoal não obedece à norma culta da língua.

  • A imagem do país para si mesmo é satisfatória.
  • Levou consigo as mágoas da nação.
  • Vim falar consigo sobre as violências recentes. x
  • Para mim, violar as leis é inadmissível.
  • Resolvemos discutir as questões para eu não ficar alheio às dificuldades dos fatos.

(ITA-SP) Indique a alternativa em que há erro gramatical:

  • Não vá sem eu. x
  • Ele é contra eu estar aqui.
  • Ele é contra mim, estar aqui é crime.
  • Com eu estar doente, não houve palestra.
  • Não haveria entre mim e ti entendimento possível.
Bibliografia
  • CEGALLA, Domingos Paschoal. Nova minigramática da língua portuguesa. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2005.
  • CEREJA, William Roberto; MAGALHÃES, Thereza Cochar. Português: linguagens – vol 2. 5.ed. São Paulo: Atual, 2000.
  • FERREIRA, Mauro. Aprender e praticar gramática. Ed renovada. São Paulo: FTD, 2007.

Ana Gabriela Figueiredo Perez

Estudos Literários - Unicamp

Confira também