Período Neolítico

O Neolítico foi o período da história humana remota que se seguiu ao Paleolítico. Este período durou de cerca de 10.000 a.C. até cerca de 4.000 a.C, e suas características mais notáveis são o desenvolvimento da agricultura e da domesticação de animais, e o surgimento de várias diferenciações importantes entre os vários grupos culturais humanos, além do aumento significativo da população de cada grupo, com o surgimento das primeiras cidades ou assentamentos.

A Revolução Neolítica

A Revolução Neolítica, também chamada Revolução Agrícola, consistiu na domesticação de diversas espécies de plantas e animais, que permitiram um estilo de vida sedentário, embora diversos grupos permanecessem nômades, e adaptassem essas técnicas ao seu estilo de vida. As principais plantas domesticadas durante o Neolítico foram o trigo, a cevada, a lentilha, a ervilha e a vagem. No caso dos animais, além do cão, domesticado no Paleolítico, temos como principais o porco, a ovelha, a cabra, a vaca, o gato, a galinha e o asno. Alguns desses animais, além de servirem propósitos estritamente alimentares (seja com carne, queijo, leite ou ovos), também serviam como animais de tração (no caso da vaca e do asno) ou mesmo como controle de pestes (no caso dos gatos).

Juntamente com esse processo de domesticação também criaram-se pequenas indústrias domiciliares de produtos derivados, como roupas feitas do couro de animais ou de fibras de plantas, a possibilidade do comércio de longa distância, usando asnos ou bois para o transporte, e a fertilização de solos empobrecidos, usando excremento animal. Além disso, foram inventadas ferramentas avançadas, como a plaina, o enxó e a enxada.

Contudo essa revolução teve também um impacto negativo, introduzindo diversos germes e bactérias, e assim novas doenças, nas populações sedentárias, sobretudo devido ao contato constante com os animais e seus dejetos. As principais doenças desenvolvidas nesse período foram a gripe, o sarampo e a varíola.

As Diferentes Culturas Neolíticas

Mesopotâmia e Levante

As características que consideramos como marcas do período Neolítico foram primeiro evidenciadas na Mesopotâmia e no Levante (atual Oriente Médio). O primeiro assentamento humano sedentário foi encontrado nessa região, chamado hoje pelos arqueólogos de Tel Qaramel, de cerca de 10.300 a.C. Por volta de 9.000 a.C., surge a primeira cidade murada da história, Jericó, que estima-se que continha uma população de mais de 2.000 pessoas, número espantoso se contrastado com os grupos de 200 a 300 indivíduos do final do Paleolítico. Essas culturas levantinas se caracterizavam por avançados sistemas de irrigação e divisão do trabalho, incluindo artesãos em pedra que tornavam possível a construção de templos e muralhas.

África

Já as culturas do norte africano, em destaque o Egito, possuíam sistemas hierárquicos complexos já no neolítico, com uma predominância de castas sacerdotais. Também possuíam uma sofisticada arquitetura de tijolos de barro, e um calendários avançados para prever as fases da lua e as cheias do Nilo, o que possibilitou o florescimento de uma cultura com agricultura em larga escala, que complementava a dieta de ovelhas e cabras domesticadas. O Egito também praticava um extenso comércio com o Levante, principalmente após a difusão do asno.

Europa

A Europa entrou relativamente tarde no Neolítico, com os primeiros assentamentos descobertos na região da atual Albânia, datando de aproximadamente 6600 a.C., com assentamentos datando de 5500 a.C. na atual Alemanha e 4500 b.C. na região da Bretanha na França. A cultura Vinca, que situava-se no noroeste da península balcânica, foi responsável pela invenção do primeiro sistema de representação pictográfica (uma espécie de pré-escrita), os chamados Signos Vinca, datados de aproximadamente 4000 a.C.. Além disso as culturas européias produziram diversos templos megalíticos, como o de Stonehenge, ou os Dólmens de Carnac, no noroeste da França. Alguns estudiosos especulam que esses templos possam ter tido também outras funções, como a observação de fases da lua ou de outros fenômenos como os eclipses solares e lunares.

Ásia

Na Ásia, o assentamento mais antigo é Menargh, no norte do atual Paquistão, datado de 7.000 a.C., com outros assentamentos se espalhando pelo resto do continente até 6.000 a.C. O território da atual Índia foi excepcionalmente tardio, com os assentamentos neolíticos mais antigos datando de 3.500 a.C., embora ainda não se saiba porquê.

América

Finalmente, na América os assentamentos mais antigos são na região da Mesoamérica, num território parecido com o que mais tarde ocuparia a cultura Maia, datando de mais ou menos 4500 a.C.. Esses assentamentos eram principalmente baseados na cultura irrigada de milho e abobrinha, acompanhado da domesticação de perus.

Bibliografia
  • BELLWOOD, Peter. First Farmers: Origins of the Agricultural Societies.

Pedro Padovani

História - USP

Confira também