Literatura de Cordel

Forma típica do Nordeste brasileiro, a literatura de cordel é um gênero literário popular, derivado da tradição oral, tendo seu surgimento e desenvolvimento a partir de cantigas trovadorescas, histórias populares e ainda da fala das pessoas. Com o tempo, os artistas populares começaram a registrar seus trabalhos em folhas soltas, as quais, presas em barbantes, garantiam liberdade de movimentação (o nome cordel viria destes folhetos pendurados em cordas).

História da Literatura de Cordel

No Brasil, a literatura de cordel foi introduzida na época da colonização, na Bahia, seguindo para outros estados do Nordeste brasileiro. É uma herança europeia, já que as origens do gênero se deram a partir de formas populares do continente europeu.

Apesar da literatura de cordel ter sido introduzida no Brasil desde a época da colonização, foi somente no século XIX que o país começou a ter suas produções, com características próprias. Os temas envolviam fatos históricos, religião, lendas, histórias do cotidiano, etc.

Estrutura da Literatura de Cordel

A estrutura da literatura de cordel é marcada pela composição de um poema em versos rimados, sem número fixo e com temas diversos. Sendo uma forma oral, o poema pode ser recitado ou acompanhado por música. As formas impressas em folhetos ainda permanecem na literatura de cordel brasileira atual, as quais fazem uso da xilogravura para ilustra-lo.

Ana Gabriela Figueiredo Perez

Estudos Literários - Unicamp

Confira também